domingo, 14 de novembro de 2010

O BRILHO DA NOITE



A tarde já se despediu e o ambiente já é lunar,
pinturas de cor enchem os céus.
Silhuetas que desaparecem, luzes que nascem.
O imenso mar que beija a cidade,
tão imenso que guarda memórias.
Memórias de navegadores, memórias de viajantes,
ou talvez memórias de uma qualquer descoberta.
Assim mesmo, tão imenso que desaparece na noite.