domingo, 14 de novembro de 2010

O BRILHO DA NOITE



A tarde já se despediu e o ambiente já é lunar,
pinturas de cor enchem os céus.
Silhuetas que desaparecem, luzes que nascem.
O imenso mar que beija a cidade,
tão imenso que guarda memórias.
Memórias de navegadores, memórias de viajantes,
ou talvez memórias de uma qualquer descoberta.
Assim mesmo, tão imenso que desaparece na noite.

1 comentário:

  1. Olá meu caro Amigo! Percorri alguns dos teus "posts" numa primeira visita e fiquei muito bem impressionado com a clareza da exposição dos mitos, sem prejuízo da sua profundidade. É matéria que me fascina. Curiosamente, fui ver e o meu último "post" data também de 2010, dir-se-ia uma coincidência, um laço fraterno? O "link":

    http://omelhordosdoismundos.blogs.sapo.pt/

    Já visitei o "Palácio Foz…" É pouco. Precisamos de lá ir.

    Abraço,

    Raúl.

    ResponderEliminar